Por Alice Beyer Schuch

Imagem de capa: Colar Odyssee por Marcelo Sant’Anna

Sustentabilidade não é apenas assunto para “inglês ver“, a gente sabe… E Moda Circular não é apenas uma tendência. Sustentabilidade e Circularidade definitivamente são termos que vieram para ficar e apresentam inúmeras alternativas para que nos tornemos a prova de futuro – em todos os segmentos econômicos, e a moda está sem dúvida inserida nesse contexto. E não vale dizer que não se tem acesso a tudo isso, por que existe, felizmente, cada vez mais alternativas que te permitem ficar à par da situação…

Muitos sabem que o assunto já é amplamente debatido, e inclusive aplicado, em países europeus – não à toa, a comissão Europeia para o Meio Ambiente lançou ao final de 2015 um Plano de Ação rumo a Economia Circular. Existem ainda outras iniciativas como o European Clothing Action Plan liderado por organizações do Reino Unido, Holanda e Dinamarca; o Programa Circle Textiles da Circle Economy da Holanda; ou ainda atividades lideradas pelo governo como a Aliança para Têxteis Sustentáveis da Alemanha. Em 2016, a gigante de moda H&M, através da sua Fundação H&M Conscious, realizou o primeiro concurso Global Change Award, um dos maiores desafios do mundo para a inovações sustentáveis e a primeira iniciativa desse tipo na indústria da moda, investindo €1 milhão – o que me deixou felicíssima em ver que a empresa que me abriu as portas para minha pesquisa de mestrado foi a ganhadora do prêmio máximo, com sua inovadora reciclagem química de algodão.

bg-pic_600
Foto: Further – textile rebirth catalyst, a coleção de Mestrado da Alice baseada na reciclagem química de algodão.

A indústria, definitivamente, tem se movimentado em busca de práticas, alternativas e processos menos negativos e impactantes. Mas, e nossos designers? Onde eles podem buscar mais informação?

Sabemos que a movimentação em direção às inovações em instituições de ensino é assunto lento e burocrático. Lamentavelmente, existem ainda pouquíssimas alternativas de estudo globalmente que abordam a Sustentabilidade na Moda. Instituições como a Universidade de Artes de Londres com seu Centro para Moda Sustentável; o Fashion Institute of Technology de NY, ou a Universidade ESMOD Berlin (onde tive a oportunidade de realizar meu mestrado), são parte desse grupo seleto. Mas o problema aqui é que nem todos têm a oportunidade de realizar essa especialização in loco, considerando distancia, tempo, dólar $, euro € ou libras esterlinas £.

Mas aqueles que realmente se interessam no assunto não se desmotivem, por favor. Para driblar essa situação, algumas alternativas online já começam a aparecer… A maioria, claro, em inglês! Mas vejamos bem, também para isso existem ferramentas online! Não perca tempo! Sites, apresentações, relatórios, webinares e cursos-online são fontes interessantíssimas de informação internacional e atualizada. Exemplos?

Curiosos de plantão que querem se aprofundar, mas não podem se comprometer com cursos presenciais, encontram a possibilidade de investir em algum curso-online, o que nos ajuda em muito nos quesitos distância e tempo. Geralmente, são materiais de qualificação de curto prazo, mas que oferecem uma boa base introdutória, e até de graça, além da possibilidade de se debater paralelamente com instrutores e profissionais da área. Plataformas como Business of Fashion, Future Learn, SFA e Central Saint Martin e UAL oferecem cursos online de introdução, negócios, e ética. Para aqueles que querem se aprofundar ainda mais, há instituições como a University of Delaware, Coursera e EdX. E se o inglês ainda não está seguro, aqui vai uma alternativa de cursos de aprofundamento em Moda Sustentável em espanhol (melhorou?)! A plataforma espanhola Slow Fashion Next oferece, entre outros, curso de Introdução à Moda Sustentável e recentemente, lançou o curso “Economia Circular e Novos Negócios de Moda”, que será ministrado, não coincidentemente, por mim*!

* Além de tutora, Alice é estudante online ativa há muitos anos, em assuntos relacionados à moda, sustentabilidade, circularidade e línguas (aquelas 6 nas quais ela é capaz de se comunicar, de alguma forma! )

Mas ok, cursos online não são a tua praia? Existem alternativas muito informativas em diferentes plataformas. Para aqueles que gostam de ler, atualizações aparecem a todo momento em sites como Circle Economy, Circular Fashion, Green Strategy, ou nos inúmeros relatórios divulgados pelo WRAP, entre outros. Existe até passo a passo a ser adotado em direção a um futuro mais responsável em toda a cadeia de valor de moda no site Close the Loop!

Close the Loop.png
Fonte: Site Close the Loop

Para os adeptos de vídeos, vale a pena iniciar com o The TEN, 10 estratégias para ajudar o designer a navegar na complexidade das questões de sustentabilidade e oferecer formas reais de como desenvolver “melhor”, ou se perder no TED Talks. Inúmeros vídeos de congressos e eventos também estão aí, disponíveis, para aqueles que não puderam estar presente. É o caso do Beyond Green, do Fashion Summit de Copenhagem, do H&M Circular Lab. Ou ainda webinares como em Mistra Future Fashion ou Fashion Positive. Recentemente a Fundação Ellen MacArthur, líder na disseminação do conceito de economia circular, promoveu o Disruptive Innovation Festival – um evento online e gratuito onde líderes, empresários, inovadores, empresas, criadores e aprendizes debateram o futuro da economia, no qual a moda também marcou presença. Assuntos relacionados ao futuro fashion, desde modelos de negócio e empreendedorismo, impressão 3D e tecnologia, até a importância de reparar nossas roupas foram apresentados em inúmeros encontros e conversas. Todos os vídeos seguirão disponíveis até dia 23 de dezembro 2016! Corre lá! E mesmo se o inglês não anda aquilo tudo, é oportunidade para iniciar o treinamento! 😉

Outros cursos presenciais no qual a Sustentabilidade na Moda é aplicada aqui!

***

Bio: Mestre em Moda Sustentável, Alice é brasileira, mora na Alemanha, e conta com mais de 15 anos de experiência profissional no ramo da Moda. Atualmente, ela se divide entre o trabalho como agente de mudança para a Moda Circular na Europa, em sua empresa Cirkla Modo, e para o Brasil, como co-fundadora da ES-fashion, junto com Tania Gengo.

Anúncios